quarta-feira, 29 de julho de 2009

Delicadezas e tragédia.


Diário Roubado (La Cahier Volte)

Drama francês de 1993 com Elodie Bouchez e Edwige Navarro no elenco e direção de Christine Lipinska.Baseado no livro do mesmo nome.

A jovem Bouchez, interpreta uma adolescente vivendo o difícil momento da descoberta da sexualidade na França pós guerra. Apaixonada por sua melhor amiga, passa para o diário todos os seus problemas, dúvidas e angustias. Quando Maurice, seu namorado de infância, exige saber se ela o ama, alterações são feitas no diário, que é entregue a ele, com resultados trágicos.

O filme é bonito, delicado e cheio de cenas doces.

Símbolos



Em 1970 nos Estados Unidos o grupo de luta pelos direitos homossexuais (Gay Activists Alliance of New York) anotou como símbolo a letra grega LAMBDA. Depois do Congresso Internacional de luta pelos direitos de gays e lésbicas em Edimburgo na Escócia em 1974 o símbolo passou a ser utilizado internacionalmente.
Há muitas especulações sobre o significado do símbolo para o movimento.Os significados mais populares são:
- A letra grega "L" significa "libertação".
- Os gregos acreditavam que os espartanos que utilizavam o símbolo LAMBDA representavam unidade.
- Os romanos adotaram o símbolo no sentindo que " a luz do conhecimento brilha na escuridão da ignorância".
- A energia do movimento gay, isso decorre da utilização da lambda em química e física para denotar energia nas equações.
No nosso país o símbolo não é utilizado pelas militâncias.


segunda-feira, 27 de julho de 2009

Eu sei do que uma Duloren é capaz...

fonte:GLAAD

Em 1996 foi criado para marca Duloren uma anúncio de mídia impressa pela agência Doctor. Nesse anúncio pode ser notado sutilmente o que já mencionei no blog, a forma caricaturada e ambígua de tratar o tema, principalmente em nosso país.
No lado esquerdo o anúncio diz: Mês das noivas.
Há uma reprodução de uma certidão de casamento que exibe o nome de duas mulheres. Fazendo alusão ao modelo de casamento heterossexual uma de branco (noiva tradicional) e a outra de preto (terno de casamento), representando o homem da relação. A forma ambígua fica explícita abaixo do logo, na frase:" Só prazer." (apenas prazer) , fazendo com que o anúncio atinja o público gay e também o heterossexual, sendo apenas sobre a clássica fantasia dos homens.

domingo, 19 de julho de 2009

Imagem da vez...

fonte: google

Romantismo

Escolhi o tema casamento para o comercial de hoje.Tendo dúvida na hora da escolha, resolvi postar dois que gosto muito.
A agência Schjelderup-Lund/Bendixen& Partners criou em 1998 na Noruega para marca Mozell o comercial que tinha como título "firefighter"

video

fonte:GLAAD

O outro comercial é para marca Johnnie Walker Red e foi feito em 1997 na Austrália pela agência Leo Burnett Co. Com slogan "Toda revolução começa com um esguicho de vermelho", fazia referência a guerra e a própria marca dizendo que duas mulheres juntas é revolucionário.

Um lindo trabalho, pena que nunca foi exibido.

video

fonte:GLAAD

Filme:

Gia- Fama e destruição.

A biografia de Gia Carangi, a modelo que quebrou todos os tabus do mundo da moda. Foi a primeira modelo a desfilar com roupas de homem e aparecer no estúdio de cara lavada, vestindo um velho jeans rasgado no joelho e assumir que era Lésbica. Por essas e outras transformou-se num mito. Em menos de um ano, sua beleza quase nua (ela nunca usava maquiagem) foi para as capas das principais revistas de moda. Foi modelo preferida de Diana Von Fustemberg, com a a qual teve uma paixão, fotografou para a Vogue, Cosmopolitan e desfilou com Gianni Versace, designer e amigo com quem dividia suas intimidades. "Nenhuma mulher é verdadeiramente mulher se não for loira". Nesta frase ela se referia a sua namorada, Sandy Linter, com quem teve "o caso de amor" mais famoso e polêmico dos bastidores do mundo da moda.Sua brilhante carreira e triste fim renderam um filme e oscar de Melhor Atriz para a maravilhosa Angelina Jolie, (pela sua interpretação de Gia).
fonte dos dados sobre Gia 'mulheresinlove'.

Dica de leitura...


Teresa e Isabel:uma paixão. Violette Leduc. Ed. Brasiliense.
O clássico da literatura francesa em versão integral.
Segundo Geraldo Galvão Ferraz, "nunca o amor entre duas mulheres foi descrito com maior intensidade erótica ou com maior ternura apaixonada".

sábado, 11 de julho de 2009

Lingerie

Uma mulher se arruma para um encontro,vestindo sua lingerie preta da 'Boisvert Lingerie'.Ao chegar a um restaurante enquanto arranca suspiro e alucinações dos homens uma pergunta é lançada aos telespectadores:"Não mereço homens?".Quando enfim chega a mesa ver-se que o encontro é com outra mulher, então depois do beijo surge a resposta á pergunta: "NÃO". Esse comercial da marca 'Boisvert Lingerie' foi criado pela agência Saatchi & Saatchi Advertising em 1996 no Reino Unido.
video
fonte:GLAAD.

Ser reconhecida

fonte:GLAAD


Esse é o título do anúncio de mídia impressa criado pela agência Leo Burnett em 2007 tendo como público alvo o segmento gay, para marca Allstate que tem como ramo de negócios os serviços financeiros..

Dica de filme


Milk- A voz da igualdade
A biografia de Harvey Milk, primeiro canditado gay oficialmente eleito na Califórnia (E.U.A).O drama traz Sean Penn como protagonista.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Dicas de leitura




Preciso te ver. Stella C. Ferraz. Ed. Brasiliense. Adélia trabalha na agência publicitária de Eva, uma mulher poderosa e decidida.

As sereias da Rive Gauche. Vange Leonel. Ed. Brasiliense A inteligência dos encontros de mulheres nos salões literários promovidos por Natalie Barner na Paris de 1920.

A temática homossexual no comercial de TV.

No Brasil quase não se vê anúncios em mídia eletrônica (comercial de TV) que se utilize de temática homossexual.
Quando são criados anúncios com a temática, a tendência é uma linguagem sutil que às vezes torna-se ambígua (o destinatário entende como quiser). Se a publicidade ‘cria’ um ‘mundo ideal’, onde todos são felizes como num comercial de margarina, fica claro o quanto ainda somos conservadores, pois o mundo ideal refletido em comerciais de TV não possuem homossexuais.
Produtos e serviços que querem trabalhar com esse segmento de mercado trabalham de uma forma que não corram risco de perder outros clientes. Assim sendo só há uma linguagem explícita se o veículo utilizado se direcionar ao público homossexual exclusivamente. Há anúncios do começo do século passado onde há menos sutileza que anúncios atuais.
Naomi Klein, autora do livro Sem logo-A tirania das marcas de um planeta vendido, editora Record, diz que as empresa adotam a postura de direcionar suas estratégias de marketing para o público gay muito mais por uma necessidade mercadológica do que por consciência social.
Embora ache que um boom da publicidade sobre o tema serviria para se discutir mais o assunto, haveria também uma disseminação da forma caricaturada da temática como a grande maioria dos anúncios são criados.
A visão estereotipada do tema só difundi mais ideias preconceituosas, não ajudando em nada numa aceitação da questão.
Quanto a mim como estudante de publicidade e espírito libertário (lesbertário) se fosse trabalhar o tema, trabalharia sem deixar de atender as necessidades dos meus clientes, mas expondo de forma real o universo homossexual e suas nuanças, sem maquiagem ou enfeites.